COMO DESCOBRIR MEU SUBTOM DE PELE - COLORIMETRIA NA MAQUIAGEM PARTE IV

Atualizado: 15 de fev.


FOTO: PANTONE


Nesse post AQUI eu expliquei sobre a colorimetria de pele, como as cores da nossa pele são formada e como elas são reproduzidas nos produtos de maquiagem. Ainda escreverei um post somente explicando sobre cores de bases e como entender as nomenclaturas das marcas na hora da compra, mas antes disso você precisa saber qual é o seu subtom de pele para adquirir a maquiagem na sua cor. E é sobre isso que vou explicar nesse artigo, como você pode identificar os subtons de pele - seu e de outras pessoas - se você também for maquiadora.



Se você já pesquisou esse assunto na internet muito provavelmente se deparou com testes que ensinam a analisar pela cor da veia do pulso ou pela capacidade de bronzeamento de cada pessoa. Apesar de essas análises serem muito difundidas web a fora elas não são confiáveis.


Não vou me aprofundar nesse ponto, mas a coloração da veia depende de vários fatores além do subtom da pele, como a camada de gordura que a pessoa possui; se o que você está analisando é mesmo uma veia ou uma artéria (pois o sangue arterial e venoso têm cores diferente e isso interfere na percepção da cor que vemos).


Quanto ao bronzeamento ele também é relativo, pois varia de acordo com o tempo e forma de exposição ao sol que a pessoa se submete, e não necessariamente está relacionado ao subtom da sua pele (eu por exemplo sou super branca e a princípio não bronzeio - fico vermelha - e de acordo com o parâmetro de bronzeamento eu seria classificada como pele fria, mas eu tenho subtom neutro-quente).


Sendo assim, eu Bárbara não utilizo nenhum desses métodos para analisar o subtom de pele. Para mim, o mais confiável é o método da comparação com tecidos e é ele que eu utilizo nos meus cursos - tanto de automaquiagem quanto nos profissionais de colorimetria e de pele.


TESTE DA TEMPERATURA DA PELE

como descobrir o subtom de pele
análise de temperatura de pele

TECIDO FRIO TECIDO QUENTE


A nossa pele "reage" as cores que usamos, quando são da mesma temperatura que a nossa pele elas nos deixam mais coradas, com ar de saudável, com menos manchas e olheiras. E é pelo método de comparação - usando uma cor quente e outra fria - que avaliamos qual delas harmonia mais com a nossa pele.


Na foto acima, eu estou usando tecidos próprios dessa análise. São tecidos voltados para profissionais que analisam coloração da pele, como consultoras de imagem e maquiadores. Esses tecidos simulam as cores bege/marrom da pele e assim fica mais fácil a comparação da temperatura.


Repare que com o tecido frio (o da esquerda da tela) fico com olheiras, meu rosto parece estar mais manchado, as linhas de expressão da minha testa ficam mais evidentes. A cor do meu rosto ficou opaca e amarelada, parecendo que estou doente. Além disso, as cores do tecido se destaca, porque destoa da minha cor de pele.


Já o tecido quente (o da direita) se parece com a minha cor, a transição entre ele e a minha pele é mais sutil, pois ele tem similaridade com ela. Meu rosto ficou com viço e com menos manchas aparente, as olheiras praticamente sumiram.


O ideal é que você procure uma profissional que realize análise de coloração - como consultoras de imagem que irá identificar sua cartela de cores, ou uma maquiadora colorimetrista - para descobrir com mais precisão qual é o seu subtom de pele e te ajudar a encontrar a base ideal.


Mas caso não seja possível fazer com uma profissional. você pode tentar fazer o teste sozinha, comparando duas blusas de cores com temperaturas opostas (é só você olhar no círculo cromático e escolher duas cores, uma quente e outra fria).


COMO FAZER O TESTE DOS TECIDOS


  • O teste deve ser feito com os cabelos presos, com a pele do rosto limpa sem nenhuma maquiagem e de frente para luz natural (de uma janela, por exemplo).

  • Coloque uma das blusas ou tecido envolvendo o pescoço e analise seu rosto com um espelho: a cor da pele, olheiras, manchas e linhas de expressão.

  • Troque o tecido e faça a mesma análise.

  • Para facilitar a comparação você pode se fotografar. Mas antes bloqueie o ajuste de luz automático da sua câmera mirando-a para uma parede branca, pois é uma cor neutra. Se não fizer esse ajuste antes, a câmera irá fazer balanço de cor automático quando você trocar as blusas e isso prejudicará a percepção de qual ficou melhor. Depois de bloquear a câmera se fotografe com cada cor e compare as fotos.

Como essa montagem que fiz da Jennifer Lopez usando uma cor quente - amarelo - e outra fria - azul. (essa montagem é apenas ilustrativa, pois ela está maquiada e com o cabelo solto).


Se a sua pele ficar melhor com a cor quente é sinal que o subtom dela também é quente, e o oposto vale para a cor fria. Algumas pessoas não é muito evidente a diferença entre as cores quente e frio, são as peles consideradas "neutras". Porém, não existe pele apenas neutra, mesmo com pouca diferença a pele sempre tende para uma das temperaturas sendo neutra-quente ou neutra-fria. Essas peles são mais complicadinhas de identificar mesmo, por isso tem que analisar bem.


IDENTIFICANDO O SUBTOM DE PELE


Depois de identificar a sua temperatura de pele ficará mais fácil de você saber qual o seu subtom, pois, conforme expliquei nesse post AQUI, na maquiagem consideramos 12 subtons de pele (6 de cada temperatura). Sabendo qual é a sua temperatura você precisará comparar apenas 6.

FOTO: REPRODUÇÃO PINTEREST


Existe ainda uma classificação de subtom utilizada na maquiagem, mas ainda pouco ensinada - a pele OLIVA. Esse subtom tem temperatura neutra-fria. É super comum ela ser confundido com uma pele quente, pois é um subtom esverdeado e os nossos olhos identificam mais a cor amarela (verde é a mistura de azul com amarelo) e por essa cor ser quente acaba confundindo a percepção. Normalmente, nessas peles, quando aplica base de subtom amarelado elas ficam ainda mais amarelas, pois a identificação do subtom está errada.


As peles com subtom de cor secundária ou terciária (expliquei sobre isso nesse POST) provavelmente serão neutra-quente ou neutra-fria, uma vez que são cores que misturam uma quente com uma fria - exceto os subtons laranjas que vêm de 2 cores quentes - por isso não é uma regra, mas pode ajuda na hora de classificar.

peles clara, média e escura e as variações de subtom de pele
SUBTONS DE PELE

Fiz essa montagem em aplicativo, com 3 tons de pele - claro, médio e escuro - para ilustrar como é sutil a diferença entre os subtons de pele, mas que quando lado a lado se consegue perceber a diferença entre o fundo de cor de cada pele.


Na maquiagem essa identificação do subtom é super importante principalmente se precisamos fazer ajustes de cor nos produtos de pele. Por isso, saber colorimetria não é um luxo na carreira de uma maquiadora, é uma obrigação. Sabendo a teoria das cores somos capazes de fazer a cor da base exatamente igual a cor da pele, até mesmo do zero se preciso for, usando as cores primárias. Saber a temperatura da pele também ajuda na escolha das sombras e batom que mais irão valorizar a beleza da pessoa.


A percepção do subtom requer treino do olhar, para nós maquiadores é fundamental, mas se você é apenas uma amante de maquiagem e tiver muita dificuldade em descobrir seu subtom de pele sozinha procure uma maquiadora que tenha formação na área (como eu, rs - para saber mais dos meus cursos de auto maquiagem clica aqui) para fazer essa avaliação e te direcionar corretamente sobre as cores de maquiagem certas para você.


Bárbara Figueiredo - designer da beleza e graduanda em Biomedicina.


Acompanhe as minhas redes sociais, posto vários outros conteúdos interessantes por lá também.


Instagram: @b.a.r.b.a.r.a.b.e.a.u.t.y @barbarabeautyconcept

Youtube: Bárbara Figueiredo Beauty


E para você não perder nenhum post do blog e receber alerta no seu e-mail, assine a newsletter no campo abaixo.


Beijos. 😘 💖