TOM SUBTOM E TEMPERATURA DE PELE - COLORIMETRIA NA MAQUIAGEM - PARTE III

Atualizado: 15 de fev.



Colorimetria na maquiagem não se limita às combinações de cores de sombra e batom. A pele, que é a parte mais importante da maquiagem (afinal ela corresponde a 80% da porção do rosto), também faz parte do estudo das cores, afinal temos inúmeras tonalidades de pele. Saber identificá-las para usar a base, corretivo e pó corretos é uma tarefa que requer muito conhecimento e prática.


Para entender esse processo de identificação da cor da pele, primeiro é preciso entender a sua formação.


COR DA PELE

FOTO: REPRODUÇÃO PINTEREST


A cor de pele que enxergamos se dá por diversos fatores (biológicos e ambientais), mas ela é determinada, principalmente, por uma proteína denominada MELANINA. A melanina é um pigmento biológico produzido pelo organismo humano na epiderme (camada mais externa da pele). A quantidade de melania produzida (o que é determinado pela genética) define o TOM de pele, ou seja, se ela é clara, média ou escura.


A cor da melanina é marrom, que tem variação de intensidade podendo chegar a aparentar preto, quando muito intensa. Essa variação da tonicidade da melanina é que da origem ao nosso SUBTOM de pele. É por isso que mesmo tendo tom de pele parecido (estabelecido pela quantidade de melanina), as pessoas podem ter diferentes subtons (que são definidos pela variação da coloração da melanina - intensidade da cor marrom).


Essas variações de subtons de peles foram classificadas como quentes e frias, dependendo da aparência que elas têm. E por isso denominado de temperatura de pele.


TEMPERATURA DE PELE

FOTO: REPRODUÇÃO REVISTA NATIONAL GEOGRAPHIC


As cores são classificadas em quentes e frias quando comparadas entre si. De um modo geral se convencionou que as peles que aparentam ser avermelhadas ou amareladas são chamadas de peles quentes. Já as peles que aparentam ser azuladas, esverdeadas, são chamadas de frias.


Os cones oculares, que são os responsáveis por receber a luz e captar as cores que enxergamos, são sensíveis as cores-luz (expliquei isso detalhadamente AQUI) e a cor marrom é interpretada pela junção das 3 cores-pigmento primárias (amarelo, vermelho e azul) não puras. Dependendo da intensidade de cada um desses pigmentos o marrom irá ter um fundo de cor tendente para uma delas, isto é, um marrom amarelado, avermelhado, etc. E essa mesma percepção ocorre com a cor de pele, a enxergamos como sendo bege/marrom rosado, amarelado, alaranjado... e esses fundos de cores são os subtons, que se classifica em quente ou fria, de acordo com a cor que aparenta.


Existe uma classificação (errônea) que acrescenta o subtom de pele neutro, porém ele não existe realmente, quando comparado com outra sempre iremos visualizar uma temperatura - um será quente e outro frio. Na área de consultoria de imagem, que também faz análise de temperatura de pele, existe a denominação de peles neutra-quente e neutra-fria, mas não de neutra pura. E essa categorização existe quando a temperatura da pele não é a característica mais forte da pessoa, ou seja, a neutralidade não é sobre a temperatura da pele em si, mas de outras características dela, como contraste, intensidade, brilho.


Na área da maquiagem até encontramos produtos denominados de neutros (mas que na prática nem são neutros de verdade, mas explicarei isso no post que farei apenas sobre tom e subtom de produto) mas a pele mesmo não existe neutra.


COR DE PELE NOS COSMÉTICOS

FOTO: REPRODUÇÃO PINTEREST


Na cosmética, a reprodução da cor da pele (que é biologicamente bege/marrom) é feita a partir de pigmentos sintéticos que simulam a coloração natural. Para isso se utiliza 3 pigmentos: vermelho, amarelo e azul (cores primárias não puras) mais as cores branco e preto para clarear ou para escurecer o produto. E assim como na natureza, é possível reproduzir marrons com diversos fundo de cores diferentes, variando a quantidade de cada cor primária se chegará em marrons com distintos subtons: marrons amarelados, alaranjado, esverdeado, etc.


É desse modo que a indústria cosmética cria diferentes cores de base, corretivo e pó. Fazendo várias tonalidades (variação de claro e escuro) e subtons (variação do fundo de cor) de produtos com cores beges/amarronzadas.



SUBTOM DE PELE NO CÍRCULO CROMÁTICO


Na Parte II dessa série sobre colorimetria na maquiagem, eu expliquei sobre o círculo cromático e que ele é formado através das 3 cores primárias. E como acabei de explicar, a cor da pele é marrom e a enxergamos pela interpretação dos cones dos olhos que unem as 3 cores primárias, então, por analogia, consideramos na maquiagem que existem 12 subtons de pele, igual ao círculo cromático que é utilizado nesse ramo de estudo (em outras áreas é possível que se utilize outros métodos de classificação).

FOTO: REPRODUÇÃO PINTEREST


Atualmente existem cerca de 7,7 bilhões de pessoas no mundo. Então na prática são inúmeros tons e subtons de pele. Mas por metodologia, na maquiagem, trabalhamos com o círculo cromático de 12 cores e assim com 12 subtons de pele. Por similaridade analisamos com qual dessas cores a pele se assemelha mais para dessa forma escolher os produtos de maquiagem para ela.


No próximo post dessa série sobre colorimetria na maquiagem irei ensinar como você pode identificar o seu subtom de pele para poder escolher corretamente a sua maquiagem.


Espero que tenham gostado deste conteúdo.


Bárbara Figueiredo - designer da beleza e graduanda em Biomedicina.


Acompanhe as minhas redes sociais, posto vários outros conteúdos interessantes por lá também.


Instagram: @b.a.r.b.a.r.a.b.e.a.u.t.y @barbarabeautyconcept

Youtube: Bárbara Figueiredo Beauty


E para você não perder nenhum post do blog e receber alerta no seu e-mail, assine a newsletter no campo abaixo.


Beijos. 😘 💖

Até o próximo post.